“Eu vim para que tenham vida e a tenham em abundância”. (João 10.10).

O Apóstolo João ouviu essas palavras dos próprios lábios do Senhor Jesus. A vida que o texto se refere não está circunscrita aos aspectos físicos e terrenos que nos limitam com a enfermidade, o desemprego, a tragédia e a violência, mas a vida que, repousando no poder espiritual que o filho de Deus nos transmitiu, nos permite superar tais obstáculos, com otimismo e segurança, sabendo que o mesmo Cristo veio para um único propósito: …” para que tenham vida, e a tenham em abundância” (Jo10.10).

A vida de Deus em nós nos vocaciona para uma viva esperança, pois aceitamos o amor de Cristo através do seu sacrifício na cruz. O fluir desta vida em nossos corações é que nos habilita a “viver de forma digna da vocação em que fomos chamados” (Ef 4.1).

Segundo a riqueza da glória do Senhor somos fortalecidos com o poder de sua vida abundante para andarmos em novidade de vida; para vencermos o mundo, o pecado e os ataques do inimigo.

Através da intercessão com oração e súplicas, podemos sentir em nossos corações, as bênçãos incontáveis da verdadeira vida que podemos desfrutar pelo o amparo que recebemos do Senhor, e pela certeza da vida eterna que expressamos.

A vida de Deus em nós é abundante, rica e completa. Ela nos desperta para viver de forma piedosa e em sincera adoração. Daí a palavra tão taxativa do Apóstolo: “Quem tem o filho tem a vida” (1 Jo 5.12). A vida abundante em Cristo é, portanto, vivida em um plano superior por causa do incomensurável amor de Deus. Que os verdadeiros adoradores do Pai o exaltem em Espírito e em verdade, pois desfrutam de uma vida diferenciada pela fé e a paz que o Filho de Deus lhes dá.

Amadas irmãs! Desfrutemos pois, do maior de todos os dons que Deus nos concedeu: A Vida Eterna!

Janilda Brandão