Texto Base: Lucas 4:1,2

A palavra de Deus nos diz o seguinte: “Jesus, cheio do Espírito Santo, voltou do Jordão e foi levado pelo Espírito ao deserto, onde, durante quarenta dias, foi tentado pelo diabo. Não comeu nada durante esses dias e, ao fim deles, teve fome. ”

Esse trecho da Bíblia nos mostra o registro de um fato bastante interessante, pois somos sempre ensinados à evitar e fugir da tentação e seus assédios, Tiago mesmo nos ensina bastante sobre a tentação.

Vemos aqui um exemplo diferente, pois o Senhor foi ao encontro da tentação.

É verdade que o texto nos mostra também que ele foi levado ao deserto pelo Espírito, ou seja, isso fazia parte do plano de Deus para que Jesus fosse tentado e isso servisse como uma preparação para o duro ministério que iria enfrentar.

O diabo teria que ser dobrado logo no início para que tudo mais fosse simplesmente uma continuidade e confirmação daquilo que no deserto o Senhor Jesus com sua vitória anunciou. A grande realidade do ministério de Cristo é que o diabo de forma clara só se manifestou diante de Jesus em dois momentos.

  1. Na grande tentação que ocorreu no deserto.
  2. Através de Pedro quando Jesus disse “para trás de mim satanás”.

Mesmo lá no momento do getsemâni o diabo não esteve presente, embora naquele sofrimento de Cristo nós observamos que o Senhor Jesus teve a companhia do anjo que o Pai enviou, ou seja, a vitória no deserto foi total e completa mostrando para o inimigo que embora a cruz estivesse distante ele já estava derrotado.

A tentação é uma realidade e somos pressionados por ela todos os dias de nossas vidas e é por isso que precisamos daquilo que Cristo teve para enfrentar o mal “a presença do espírito santo de Deus”, pois através da sua força e consolação venceremos a tentação.

O Espírito Santo se coloca à nossa disposição para nos fazer mais do que vencedores.

Com as palavras de Jesus nós seguimos em frente “vigiai e orai porque na verdade o espírito está pronto a carne toda vida é fraca”. Vivamos em espírito e não cumpriremos os desejos da nossa natureza carnal.

Que Deus nos abençoe.

Amém

 

Em Cristo Jesus e porque Ele vive!
Pr. Antônio José Azevedo Pereira