Texto Base: 1 João 4:10

O texto sagrado diz o seguinte: “Nisto consiste o amor: não em que nós tenhamos amado a Deus, mas em que ele nos amou e enviou seu Filho como propiciação pelos nossos pecados.”

Há duas provas infinitas de sua grandeza.

  1. Por causa desse amor ele deu o seu filho para nossa propiciação, ou seja, pelos nossos pecados.
  2. Ele nos amou primeiro antes que nós o amássemos.

O mais belo aspecto do amor divino é exatamente este descomprometimento do pai para com a nossa resposta ao seu amor. Não foi uma operação toma lá dá cá, eu te amo em consequência você me ama recebendo o meu filho como Salvador, nada disso.

Eu te amo era isso que Deus estava dizendo e ponto final. Nos relacionamentos humanos o intercâmbio do amor é fundamental, ou seja, quase sempre você ama e espera a retribuição.

A relação conjugal por exemplo é a maior expressão desta verdade, quando o esposo e esposa devem ter um pelo outro o mesmo nível de sentimento, o mesmo poderia se dizer de filhos e pais, irmãos e irmãs e assim consequentemente em geral.

Relacionamentos em que um ame mais que o outro trará problemas e às vezes até traumas.

Deus não esperou para verificar se nós o amaríamos, antes que nascêssemos ele já nos amou quando previu a vinda de seu filho ao mundo para o resgate de nossa vida.

Será que temos pensado neste insondável e profundo Amor?

De que forma podemos retribuir esse amor que temos recebido do Senhor?

Uma das formas é sempre orarmos dizendo: “Senhor, faz-me lembrar da imensidão do teu amor quando permitiu a vinda de seu filho ao mundo para salvar nossas almas. ”

Que possamos sempre caminhar com o Senhor e desfrutar a cada dia mais do seu Amor.

Que Deus nos abençoe.

Amém

Em Cristo Jesus e porque Ele vive!
Pr. Antônio José Azevedo Pereira