Texto Base: Atos 26:19

A palavra de Deus nos diz o seguinte: “Por isso, ó rei Agripa, não fui desobediente à visão celestial.”

A visão celestial foi a base e o ponto de partida para o trabalho que o apóstolo Paulo realizaria. Aquele homem violento, rebelde e o mais forte entre os inimigos de Deus aquela época decidiu obedecer. Desde o momento em que no caminho de Damasco ele viu uma visão celestial, passou a obedecer o Senhor e obteve resultados que todos nós conhecemos muito bem.

Muitos cristãos não apresentam o fruto do espírito, seu testemunho não são resultados da obediência e eles vegetam no mesmo lugar girando em torno de si mesmos, exatamente como os filhos de Israel giravam em torno de uma montanha murmurando contra o Senhor.

Talvez não estamos obedecendo ao reter uma parte do preço, e dessa forma não tenhamos sido honestos com Deus mantendo omissões e reservas quanto a visão celestial. Alguns vivem em uma falsa luz, devaneios e pensamentos próprios pensando ter uma vida pautada na visão celestial, porém, vivem uma ilusão enganadora. Essas seduções só existem onde predomina a desobediência diante da visão Celestial.

O apóstolo Paulo disse: “Por isso, ó rei Agripa, não fui desobediente à visão celestial.”

Vamos agradecer a Deus por essa palavra e deixemos que o Senhor vá no mais profundo do nosso ser, trabalhando para que nossas vidas estejam de acordo com sua vontade. Que possamos entregar a ele todas as coisas que nos prendem demasiadamente. A causa de nosso coração está dividido nos impede de consagrar nossa vida inteiramente à ele, porque não podemos continuar perseguindo Jesus, precisamos parar e compreender definitivamente a visão Celestial.

Nosso encontro com o Senhor não será uma emoção passageira, o teu encontro com Deus não será uma emoção, pois o evangelho não fala de sofismas, mas prega realidade.

Que Deus nos abençoe.

Amém

 

Em Cristo Jesus e porque Ele vive!
Pr. Antônio José Azevedo Pereira