Texto Base: Êxodo 40:33

A palavra de Deus nos diz o seguinte: “Levantou também o pátio ao redor do tabernáculo e do altar, e pendurou a cortina da porta do pátio. Assim Moisés acabou a obra. ”

É gratificante para nós quando no final de nossos esforços e trabalhos, visualizamos a obra concluída. Isso gera mais alegria quando essa empreitada é difícil e exige um grande sacrifício.

Moisés estava com esse mesmo sentimento quando acabou a obra do tabernáculo. Foi isso que aconteceu com o servo de Deus depois de conduzir o povo pelo deserto. Depois desse episódio ele vê aquela obra especial que o Senhor lhe solicitara concluída, não só pela força do braço do homem, mas também pela interveniência de Deus.

Aquela construção deve ter sido um momento inesquecível para Moisés.

Percebemos o senso de responsabilidade do líder, pois quem está à frente de algo é exigido, assume encargos pesados e tem uma grande responsabilidade. Em meio à tantas direcionamentos e responsabilidades nada é mais gratificante do que contemplar a conclusão daquela obra.

Enquanto escrevia essa mensagem lembrei-me de meu pai, que era um obreiro do evangelho e costumava ver pessoas tocando obras e trabalhos diversos, nessas observações ele sempre dizia “prefiro o homem de bom acabativa do que os que simplesmente tem boa iniciativa”.

Obras começam e não tem conclusão, um exemplo disso são aquelas que o nosso Estado inicia, mas não encerram. A obra de Deus dizia meu pai, precisa de pessoas que iniciem, mas que especialmente concluam as suas tarefas e missões.

Aqui nesse texto que usamos como base para a nossa reflexão, Moisés estava celebrando esse momento expressivo de se sentir instrumento de Deus para uma obra.

Em nossas atividades no lar, no trabalho ou na igreja quando chegam esses momento de celebrarmos essas vitórias nós temos que fazer com muita alegria, pois isso também é benção do Senhor.

Que Deus nos abençoe.

Amém

 

Em Cristo Jesus e porque Ele vive!
Pr. Antônio José Azevedo Pereira