Texto Base: Lucas 5:27

A palavra de Deus nos diz o seguinte: “E, depois disto, saiu, e viu um publicano, chamado Levi, assentado na recebedoria, e disse-lhe: Segue-me. ”

Mais uma vez o poder da palavra de Cristo é posto à prova e dessa vez era com aquele publicano que exercia o cargo de funcionário público.

Se em outro momento esse poder maravilhoso nos impressionou, agora ele vai mudar a vida daquele homem que era empregado do Império Romano lá em Cafarnaum.

Levi ou Mateus como é conhecido era um homem de bem, embora publicano. Não existia contra ele a mesma desconfiança de desonestidade que existia na narrativa sobre o coletor de impostos lá em Jericó o nosso conhecido Zaqueu.

No texto que usamos como base para a nossa reflexão Mateus parece até gozar de certa popularidade, pois realiza um jantar de despedida onde muitos estão presentes. Não havia razão plausível para deixar a sua privilegiada profissão, pois ele tinha um bom salário, estabilidade profissional e segurança junto às tropas que ocupavam a Judeia. Embora pudesse enfrentar certa antipatia de seus conterrâneos.

Pelo pouco que sabemos Mateus designava sua função de forma excelente, mas ele ouviu a palavra de Cristo e se já tinha visto o mestre falar não sabemos, pois a Bíblia não nos mostra.

Quando Cristo passou por sua banca e disse-lhe “segue-me”, Mateus prontamente seguiu Jesus.

Quantos de nós estamos sendo chamados por Cristo, quantos de nós ouvimos a voz dele dizendo nos para lançar, quantos de nós temos sentido a sua voz nos orientando à determinada missão e a pergunta é temos reagido com Mateus?

Assim como Mateus deixemos o embaraço que nos prende e sigamos o mestre.

Quantos são chamados, quantos são convocados, quantos são desafiados para o serviço do mestre, mas não se dispõe. Quando aquele publicano ouviu o “segue-me”, de pronto atendeu a voz do Mestre.

Que possamos está sempre dispostos à cumprir o chamado de Cristo Jesus.

Deus nos abençoe.

Amém

 

Em Cristo Jesus e porque Ele vive!
Pr. Antônio José Azevedo Pereira