Texto Base: Juízes 15.3

A palavra de Deus nos diz o seguinte: “Então Sansão disse acerca deles: Inocente sou esta vez para com os filisteus, quando lhes fizer algum mal.”

A história de Sansão é rica em princípios para nossa regra e prática de fé, aqui nós encontramos a questão da consciência limpa.

Procurar agir sempre com a convicção de uma consciência limpa deve ser algo constante na vida cristã. Com base nos parâmetros que extraímos da Bíblia para o nosso viver, devemos submeter os nossos pensamentos e atitudes ao seu crivo, dessa forma poderemos julgar com seriedade se estamos andando bem.

O homem de má formação não tem esse problema, com a sua mente mergulhada no pecado os seus atos não encontram qualquer resistência contrária, pois são resultado da pecaminosidade que existe em seu íntimo. Já o crente tem padrões que a Bíblia lhe indica, e esse é um dos motivos pelos quais não lhe permitem até inconscientemente uma vida em desacordo com a sua consciência.

Foi assim que Sansão tentou justificar sua postura dali por diante em sua luta contra os filisteus.

Ele precisava de um ato como aquele para se justificar diante da artimanha montada pela família com a qual estaria se unindo pelo casamento. Considerando-se enganado ele vai com a “consciência limpa”, começar a sua batalha.

Nos dias atuais devemos sempre testar a nossa consciência.

Que padrões estão imperando nela? Que princípios prevalecem no nosso interior? São eles guiados pela palavra de Deus e abençoados pelo nosso pai celestial?

Agir sempre com a consciência pura é o nosso desafio. Como servos do Senhor não podemos nos contentar com atos ou comportamentos que contrariam a vida Santa daqueles que devem andar como ele andou.

Que todos nós possamos fazer a recomendação do apóstolo Paulo: “transformais vos pela renovação do vosso entendimento”.

Que Deus nos abençoe.

Amém

 

Em Cristo Jesus e porque Ele vive!
Pr. Antônio José Azevedo Pereira