Texto Base: Oséias 14:5

Diz assim o texto sagrado: “Porque o Senhor corrige o que ama, e açoita a qualquer que recebe por filho. ”

Algumas pessoas tem aversão à esse texto por conta das inovações que se estabelecem ao longo do tempo. Podemos observar essas inovações na metodologia aplicada pela educação, o termo corrigir e açoitar já não são mais usados, e isso já é algo inadmissível em alguns países.

A palavra de Deus em todo o seu contexto do antigo ao novo testamento, é coerente e clara no sentido de que a correção até mesmo através do castigo físico é para Deus uma prova de amor. Logicamente que estamos tratando da sabia correção que é sem excesso, sem violência e não é motivada pela cólera, mas é aplicada com inteligência.

O texto usado como base para nossa reflexão, embora aborde a correção, é pleno de amor. O trecho diz: “O Senhor corrige e açoita”, tais atitudes divinas de coerção estão envolvidas pelo ato de amar. Ele corrige ao que ama e açoita sem que necessariamente se entenda isso como o ato de chicotear fisicamente alguém.

A correção é uma necessidade em nossa vida e diante de algumas situações só aprendemos quando somos corrigidos, e uma das fases que isso mais se aplica é na infância.

O escritor da carta está nos dizendo que na vida cristã teremos momentos em que seremos corrigidos por Deus e poderemos até nos sentir açoitados pelos acontecimentos que tentam nos abater, mas essas situações são apenas uma forma do Senhor está ensinando o que é certo e o que é errado em nosso viver.

Que Deus nos ajude à recebermos essa correção que vem do Senhor, e que possamos reconhecer sua providência corretiva em nossas vidas como mais uma prova de amor.

Amém

 

Em Cristo Jesus e porque Ele vive!
Pr. Antonio José Azevedo Pereira