Texto Base: João 15.31

A palavra de Deus nos diz o seguinte: “Como o Pai me amou, também eu vos amei a vós; permanecei no meu amor. ”

Por ser a virtude das virtudes, o amor tem a capacidade impressionante de unir as pessoas já a gratidão nem sempre consegue isso, pois nem todos gostam de dever favores a terceiros. Os beneficiados pela bondade em algumas situações se sentem inferiorizados quando recebem esse benefício de outro.

Basicamente isso acontece com todas as demais virtudes restando o amor como aquela que entrelaça efetivamente as pessoas pelos vínculos de compreensão e harmonia, que traz sempre grandes benefícios para aqueles que são atingidos pela sua grande ação.

Cristo em sua palavra final aos discípulos momentos antes de ser preso e levado ao calvário, vai ter com eles um dos momentos mais expressivos para expor a força desse amor tão glorioso e desse entrelaçamento que foi criado entre Ele e os discípulos. Foi feita uma promessa que Cristo ia para os céus, mas enviaria o consolador até o seu retorno. Em João do capítulo 14 até o 17 podemos de forma mais profunda entender o que foi este último diálogo do Mestre antes de sua morte com seus seguidores. É uma das mais belas e profundas expressões no sentido e significado do amor que unia Jesus e seus discípulos.

O texto base dessa reflexão bíblica é uma evidência deste amor tão glorioso, isso por realmente representar algo extraordinário do Amor Divino que ligava Pai, Filho e os seguidores. Jesus diz: “Como o Pai me amou, também eu vos amei a vós; permanecei no meu amor. ”

E nós discípulos de Jesus nos dias de hoje somos resultados deste entrelaçamento amorável?

Deus amou o seu filho e o filho nos amou como discípulos, esse amor foi tão grande que Ele se entregou na cruz em nosso lugar. Depois de tão grande sacrifício Ele espera que permaneçamos no seu o amor vivendo de forma digna e pura diante de sua presença, porque essa é a forma que podemos demonstrar o nosso amor para com Cristo.

 

Em Cristo Jesus e porque Ele vive!
Pr. Antonio José Azevedo Pereira