Texto Base: Juízes 15.19

A palavra de Deus nos diz o seguinte: “Então Deus fendeu uma cavidade que estava na queixada; e saiu dela água, e bebeu; e recobrou o seu espírito e reanimou-se; por isso chamou aquele lugar: A fonte do que clama, que está em Lei até ao dia de hoje.”

Apesar dos erros e vacilações de Sansão ele foi um grande servo de Deus, quer pelos feitos, quer por ter o seu nome citado no grande capítulo da fé Hebreus 11, quer por ter tido a suas orações atendidas em momentos cruciais de sua vida, quer pela grande e maravilhosa obra que realizou.

Diante da humilhação que estava sofrendo ali pelos filisteus e a longa luta que teve contra os mil inimigos matando-os com a queixada de um jumento, o esgotamento físico e a sede começou a atormentar Sansão, sendo que a sede era um problema realmente terrível. Ele se angustiou e orou a Deus pedindo água, pois do contrário ele poderia morrer mesmo depois da grande vitória obtida contra os inimigos do seu povo. Foi então que o Senhor veio ao encontro do seu sofrimento e o socorreu abrindo a fonte da água.

Não tenha dúvidas que quando clamamos ao Senhor, ele vem ao encontro do nosso sofrimento para nos socorrer. Muitas vezes precisamos sofrer aflições para orarmos e parece que só na provação nos achegamos à Deus. Quando tudo está bem esquecemos que o Senhor é quem nos sustenta e nos proporciona esses momentos de paz, as lembranças só são ativadas novamente quando passamos por situações de crise.

Devermos ter mais sintonia com Jesus e estarmos constantemente em sua presença através da vida em oração. Se tivermos sempre comunhão com ele, quando a crise surgir ou ressurgir estaremos preparados e seremos conduzidos por ele e assim chegaremos mais facilmente a Vitória.

A oração não é simplesmente uma válvula de escape, tábua de salvação ou boia que só são usadas na hora do perigo a oração é a fonte da nossa vida.

A fonte da água da vida está aberta e todo aquele que dela beber não terá mais Sede. Que Deus te abençoe.

 

Em Cristo Jesus e porque Ele vive!
Pr. Antonio José Azevedo Pereira