Texto Base: Lucas 13:16

A palavra de Deus nos diz o seguinte: “E não convinha soltar desta prisão, no dia de sábado, esta filha de Abraão, a qual há dezoito anos Satanás tinha presa?”

Presenciamos mais uma vez o conflito entre a lei e a graça.

O clero sacerdotal nesse texto insurge contra Cristo porque o Mestre exerceu o seu poder de curar no sábado e dentro da sinagoga, isso era um pecado imperdoável para classe religiosa naquele tempo.

A resposta do Senhor é objetiva e questionadora quando diz: “vocês não fazem coisas simples e necessárias Como cuidar do seu gado no sábado?”. Claro que ele sabia que todos faziam isso e diante do posicionamento silencioso de todos naquela ocasião Jesus pergunta: “por que não posso fazer algo mais importante do que aquilo que vocês fazem suas casas?”.

Segundo o texto bíblico os adversários de Jesus ficaram envergonhados já que não tinha como contra argumentar diante da evidência lógica e simples das palavras de Cristo, especialmente porque eles percebiam à alegria que o povo humilde tinha diante dos milagres realizados pelo Mestre.

O ensino que podemos extrair desse texto é que muitas vezes temos essas mesmas ações, parecidas com às dos religiosos dos tempos bíblicos. Queremos padronizar e definir procedimentos e regras para situações que sendo espirituais, não podem se sujeitar aos parâmetros e métodos humanos. Com essas atitudes estamos pretendendo subjugar até à operação do Espírito Santo de Deus aos nossos desígnios, raciocínios, métodos, normas e estatutos.

Como servos de Deus sabemos que nossas igreja precisam de disciplina própria para subsistir como organização social e também de princípios e diretrizes básicas que mantenham sua identidade denominacional, mas não esqueçamos que tais procedimentos não podem impedir a livre ação do Espirito Santo.

Jesus curou aquela filha de Abraão no sábado porque o seu poder sobrepôs até mesmo a norma estabelecida naquela época.

Que Deus nos abençoe.

Amém

Em Cristo Jesus e porque Ele vive!
Pr. Antônio José Azevedo Pereira