“É necessário, portanto, que o bispo seja irrepreensível, esposo de uma só mulher, temperante, sóbrio, modesto, hospitaleiro, apto para ensinar; não dado ao vinho, não violento, porém cordato, inimigo de contendas, não avarento; e que governe bem a própria casa, criando os filhos sob disciplina, com todo o respeito (pois se alguém não sabe governar a própria casa, como cuidará da igreja de Deus?); não seja neófito, para não suceder que se ensoberbeça e incorra na condenação do diabo. Pelo contrário, é necessário que ele tenha bom testemunho dos de fora, a fim de não cair no opróbrio e no laço do diabo” (1 Timóteo 3:1-7).

É inadmissível que um Pastor não conheça as qualidades intrínsecas, à sua chamada, para a função de cuidar, proteger e ser um facilitador da condução do povo de Deus.   A bíblia utiliza três termos no original para definir as pessoas qualificadas para orientar   o povo de Deus. Presbíteros (presbyteros), significa ancião (Tito 1:5-9), identifica-se com o respeito e a maturidade espiritual e de vida que essa função exige. Veja o que diz, Tito 1: 5,7:  “por esta causa te deixei em Creta, para que pusesses em boa ordem as coisas que ainda restam, e de cidade em cidade estabelecesses presbíteros, como já te mandei: …  Porque convém que o bispo seja irrepreensível, como despenseiro da casa de deus, não soberbo, nem iracundo, nem dado ao vinho, nem espancador, nem cobiçoso de torpe ganância”. Os bispos, epíscopos ou supervisores (episkopos), 1 Timóteo 3:1-7 relaciona-se ao cuidado e a atenção sobre as necessidades gerais da congregação. Analise o que diz, a palavra de Deus,  em atos 20.28: “Olhai, pois, por vós, e por todo o rebanho sobre que o Espírito Santo vos constituiu bispos, para apascentardes a igreja de Deus, que ele resgatou com seu próprio sangue”.  Aos pastores do grego poimen (poimen) trata-se de alguém que protege e conduz suas ovelhas. O modelo bíblico é que cada igreja local tenha uma variedade de homens servindo deste modo para cuidar e guiar as ovelhas (Atos 14:23; Filipenses 1:1; Tito 1:5).  Observe, em Efésios 4:11, a seguinte passagem bíblica: “E ele mesmo deu uns para apóstolos, e outros para profetas, e outros para evangelistas, e outros para pastores e doutores, (Ef 4:11) ”.

Vamos analisar, de forma resumida, as qualidades necessárias para essa função pastoral escritas em 1 Timóteo 3:1-7 e Tito 1:5-9, são as seguintes:

IRREPREENSÍVEL.  Essa qualidade relaciona-se com a necessidade de o Obreiro ser reconhecido, pelo seu bom comportamento, aos olhos do povo e não dever ser acusado de nenhum escândalo ou vício.

ESPOSO DE UMA SÓ MULHER.  Nessa característica, fica claro que o Obreiro não deve adotar a poligamia. Devemos entender, que apenas no caso da morte da esposa de um obreiro, ele fica livre para contrair novas núpcias, isso porque sua esposa será a única e fiel companheira; observe o que a Palavra nos diz: “Ora, a mulher está ligada pela lei ao marido, enquanto ele vive; mas se o mesmo morrer; desobrigada fica da lei conjugal” Rm 7.2. Portanto a relação de casamento com um segundo esposo ou esposa se torna em adultério.

TEMPERANTE.  Essa palavra origina-se da palavra nephalios significando temperado; esse termo significa também ajuizado, mostrando que o líder tem que usar o bom senso em suas decisões e atitudes.

SÓBRIO.  No grego (Sophron) significa prudente, moderado e controlado; é aplicado nas epistolas cento e setenta e cinco vezes.

MODESTO.  A palavra para o termo é Kosmos e significa ordeiro; é uma palavra correlata, nos dá ideia de organização e bom senso.

HOSPITALEIRO. Diz   respeito ao acolhimento que o obreiro deve dar as pessoas; temos que exercitar essa grande qualidade como diz, em 1 Pedro 4:9, a palavra de Deus:  “Sede, mutuamente, hospitaleiros, sem murmuração”.

NÃO DADO AO VINHO.  Paulo, está solicitando que obreiro tenha consciência e, afastando-se do vinho, estará livre dos vícios, tentações e de críticas (Ef 5.18; 1 Co 11.21).

NÃO VIOLENTO.  A palavra usada para esse termo é AMACHOM, que dizer pacífico.  Os pastores devem ser inimigos de contendas, pois os que vivem nessas práticas terminam criando divisão na própria igreja. O líder deve ser piedoso, lutando pela tranquilidade do rebanho de Deus.

NÃO AVARENTO. Não dado ao dinheiro. A origem desse termo é Aphilarguros, que significa amante do dinheiro. Um verdadeiro pastor não trabalha visando obter lucro na obra de Deus; é evidente que o obreiro é digno de seu salário, por trabalhar na obra de Deus; mas ele não deve fazer do evangelho um monopólio, com enriquecimento ilícito explorando as ovelhas.  Em, 1 Timóteo 6:10, a Palavra diz:  “ Porque o amor do dinheiro é raiz de todos os males; e alguns, nessa cobiça, se desviaram da fé e a si mesmos se atormentaram com muitas dores”.

QUE GOVERNE BEM A SUA CASA. Quando a bíblia fala sobre como governar a própria casa, está atribuindo ao homem a responsabilidade de ensinar aos filhos o caminho de uma vida com Cristo, ter a sua esposa como auxiliadora na educação da família. “Filho meu, guarda o mandamento do teu pai e não deixes a instrução da tua mãe; ata-os perpetuamente ao teu coração, pendura-os ao pescoço”. (Provérbios 6.20-21).

INIMIGO DE CONTENDAS.  Falar somente o necessário e estar pronto para ouvir.  Veja que riqueza de ensinamento para os líderes em Provérbios 26:20:  sem lenha, o fogo se apaga; e, não havendo maldizente, cessa a contenda.   

SEM IRA.  O Ministro deve ter Domínio próprio como, Tiago 1:19, Diz:  sabeis estas coisas, meus amados irmãos. Todo homem, pois, seja pronto para ouvir, tardio para falar, tardio para se irar.

GOVERNAR BEM A SUA CASA.  Em Mateus 7.24 está escrito: “Todo aquele, pois, que ouve estas minhas palavras e as pratica será comparado a um homem prudente que edificou a sua casa sobre a rocha”.  O pastor que não tem os seus filhos sobre sua orientação e base da Palavra de Deus, é um forte candidato a um fracasso espiritual.

Para o Pastor governar bem a sua casa tem que colocar em prática o que as Escrituras orientam para os colossenses, pois estas orientações são seguras para um bom governo de uma casa, onde todos os membros da família estão envolvidos. “Mulheres, sujeite-se cada uma ao seu marido, como convém a quem está no Senhor. Maridos, ame cada um a sua mulher e não a trate com amargura. Filhos, obedeçam a seus pais em tudo, pois isso agrada ao Senhor. Pais, não irritem seus filhos, para que eles não desanimem”. (Colossenses 3:18-21).

CONCLUSÃO. O pastor não deve esperar recompensas humanas, nem muito menos, procurar estar na mídia ou ter popularidade, mas exercer seu ministério com amor e gratidão a Deus pelo privilégio de ser seu servo.

Sendo detentor de todas estas qualificações mostradas acima, cumprindo fielmente as determinações de suas responsabilidades, pode então se considerar um servo bom e fiel. “Deus respondeu para o Servo: Muito bem, servo bom e fiel! Você foi fiel no pouco, e eu o porei sobre o muito. Venha e participe da alegria do seu Senhor!” (Mateus 25:21). Não devemos esquecer também das palavras do Apóstolo Paulo a Timóteo; “Os que servirem bem alcançarão uma excelente posição e grande determinação na fé em Cristo Jesus”. (I Timóteo 3:13).  Que Deus em Cristo nos abençoe.

 

ANTÔNIO SÉRGIO COSTA LIMA – PASTOR AUXILIAR -COORDENADOR DO MINISTÉRIO DA FAMÍLIA -IEADTC