Nesse ano de 2016 temos adotado o tema “A Causa e Cristo” como emblema daquilo que nossa Juventude se propõe a ser e a fazer. Entendemos, segundo os Evangelhos, que a razão suprema da vinda de Jesus Cristo ao mundo dos homens foi para instaurar uma nova ordem e estabelecer uma nova realidade que ele mesmo chamou de Reino de Deus. Essa nova realidade, embora inicialmente não possa se situar geograficamente, sua concretização já pode ser sinalizada pela Igreja, a comunidade do Reino.

É um erro acreditar na missão de Jesus como uma mobilização de fuga em massa. Não postulamos uma teologia escapista, alienante, pelo contrário, concebemos uma espiritualidade integral comprometida com a transformação do mundo a nossa volta. O próprio Cristo falou aos seus discípulos no sermão da montanha: “Vós sois o sal da terra; ora, se o sal vier a ser insípido, como lhe restaurar o sabor? Para nada mais presta senão para, lançado fora e ser pisado pelos homens. Vós sois a luz do mundo. Não se pode esconder a cidade edificada sobre um monte; nem se acende uma candeia para colocá-la debaixo do alqueire, mas no velador, e alumia a todos os que se encontram na casa. Assim brilhe também a vossa luz diante dos homens, para que vejam as vossas boas obras e glorifiquem a vosso Pai que está nos céus”. (Mt 5.13-16).

Como membros da comunidade do Reino temos responsabilidades. A primeira de compartilhar a vida desse reino como oferta amorosa do Rei a todos que desejam submeter-se ao seu senhorio. Essa missão se materializa pela evangelização. Os dados estatísticos da nossa cidade de Fortaleza apontam para os grandes desafios que temos pela frente. Esta importante capital em 2010 tinha em torno de 2.452.185 de habitantes. Deste número, quase 30%, eram jovens com faixa etária de 15 a 29 anos, e totalizavam 718.613. Trata-se de um público expressivo, que na sua grande maioria necessita conhecer a vida desse Reino que representamos.

O nosso entorno é permeado por trevas espirituais, obscurantismo, alienação, fome e morte. Como jovens cristãos, precisamos anunciar a cidade que a luz raiou, o Pão Vivo desceu do céu e é ofertado aos que jazem à beira da morte. Somos contagiados pelo mesmo sentimento do registro bíblico de 2 Reis 7.9: “hoje é dia de boas novas e não ficaremos calados”. Por isso, não mediremos esforços: iremos às avenidas, às praças públicas, escolas, universidades, shoppings centers, em todos os lugares e situações compartilhando a maior de todas as notícias: o Reino de Deus é chegado!

A segunda responsabilidade da nossa juventude é integrar aqueles que desejam partilhar da vida do Reino conosco. Essa é uma nobre tarefa porque significa acolher pessoas que por vezes chegarão machucadas de experiências dolorosas, oferece-las um ambiente familiar que porventura tenha sido negado em experiências anteriores. A Palavra de Deus nos exorta a integração como um exercício de reciprocidade: “Acolhei-vos uns aos outros, como também Cristo nos acolheu, para a glória de Deus” (Rm 15.7).

Nenhum exemplo é mais inspirador em matéria de acolhimento do que o próprio Cristo. Ele foi gentil, aberto ao diferente, ao discriminado, sentou à mesa com publicanos e meretrizes, num gesto amoroso de inclusão. Demonstrou longo ânimo com os seus discípulos quando por vezes não compreendiam o propósito da sua missão, mesmo assim, como bem diz João, “Jesus amou-os até o fim”. Não há integração, se existe preconceito, reservas e exclusivismo. Nossa juventude tem compreendido isso.

Nossa terceira responsabilidade é de servir com nossos dons e talentos a todos indistintamente. Pensando nessa ação específica, partimos da premissa de que o Rei Jesus nos dotou de capacidade para uma atuação relevante no seu Reino. Todos temos talentos e habilidades que precisam ser colocados aos interesses de Cristo, sejam como mestres, advogados, médicos, enfermeiros, odontologistas, fisioterapeutas, nutricionistas, educadores, e tantos outros.

Estamos criando uma plataforma que possibilitará o serviço daqueles que quiserem consagrar ao Senhor seus dons e sua formação profissional. Nossa cidade reclama a presença de uma igreja cidadã que seja parceira nos seus dramas e aflições. Não hesitaremos de servir nosso próximo, conforme nosso Mestre Jesus fez durante todo seu ministério.

Como jovens cristãos, assumiremos o nosso papel e cumpriremos a missão confiada por Cristo. Compartilharemos o Evangelho, acolheremos aqueles que desejam participar do nosso convívio e redes de relacionamento, utilizaremos nossos dons e habilidades para a glória de Deus.

Venha fazer parte desse tempo e lutar conosco pela Causa de Cristo.

Pr. Ozean Gomes
Pastor da Juventude TC