“Que darei eu ao Senhor, por todos os benefícios que me tem feito? (Sl 116.12)

Quais foram os benefícios concedidos pelo Senhor durante o ano de 2016?

Por mais que tentemos lembrar, são inúmeros os benefícios, que vão desde o fato de estarmos vivos, como também de desfrutarmos da comunhão com Deus e termos uma família abençoada.A questão de maior relevância observada pelo salmista é: O que poderemos oferecer a Deus em retribuição às coisas maravilhosas que dele temos recebido? Acredito que não poderemos fazer nada a não ser demonstrarmos gratidão pelos bens, saúde, um bom emprego e principalmente pela certeza da alegria da salvação.

Outro aspecto importante é o uso que temos feito das coisas que Ele tem nos concedido. Como servos de Deus e ministros, sugiro algumas atitudes que podem contribuir para um bom uso das dádivas do Senhor: Canalizar todas as coisas que temos recebido prioritariamente em prol de nossa família. Apesar de sermos agraciados por Deus com diversos bens materiais e espirituais, na maior parte das vezes não temos conseguido aplicá-los aos nossos familiares. Um exemplo pode ser a decisão de investir tempo de qualidade aos filhos, acompanhando seu desenvolvimento físico e cognitivo, como também procurar expressar sempre que possível os sentimentos de carinho ao cônjuge, valorizando a companhia um do outro. Davi nos dá uma orientação acerca de como devemos agir para sermos gratos. Ele afirma expressamente que “devemos tomar o cálice da salvação”. Isto significa vivenciar através de nossas vidas o grande projeto de Jesus Cristo:  Servir e Doar-se pelos demais, como está escrito no evangelho de Marcos: Porque o Filho do homem também não veio para ser servido, mas para servir e dar a sua vida em resgate de muitos (Mc 10:45). Façamos a nós mesmos algumas perguntas básicas:   A quem estou servindo no reino de Deus? Minha família ou só as famílias da Igreja?  Quais os resultados disso ou frutos produzidos? Jesus disse o seguinte: “Toda a vara em mim, que não dá fruto, a tira; e limpa toda aquela que dá fruto, para que dê mais fruto (Jo 15.2) ”.

A outra atitude indicada por Davi seria invocar o nome do Senhor. Este ato consiste em não confiar no braço humano. Pelo contrário, significa estarmos totalmente confiantes no socorro do Senhor que fez o céu e a terra. (Hebreus 11.6).

Desejamos que nesse ano de 2017 possamos cumprir como ministros a grandiosa missão de servir nossas famílias e a comunidade na qual servimos, sendo instrumento de cura para a sociedade. 

Antônio Sérgio costa Lima – Pastor Auxiliar e Coordenador Ministério da família da IEADTC.