“Quanto ao mais, irmãos, tudo o que é verdadeiro, tudo o que é honesto, tudo o que é justo, tudo o que é puro, tudo o que é amável, tudo o que é de boa fama, se há alguma virtude, e se há algum louvor, nisso pensai” (Filipenses 4.8).

Dentro de um contexto de uma sociedade globalizada, a internet aumenta seu alcance de forma acelerada, com o acesso à rede mundial de computadores se difundindo com velocidade crescente, tornando-se um dos principais canais de socialização e integração entre os povos. Mesmo com os notáveis benefícios na comunicação e aumento importante do acesso de crianças e adolescentes à internet, não podemos deixar de levar em conta os riscos e perigos produzidos por esta nova realidade.

Como o tema o problema não é a internet, é o seu mau uso, como tudo na vida o problema não é a ferramenta em si, mas o que eu faço com essa ferramenta ou como uso essa ferramenta ou a domino. O homem é um ser que ainda nesse mundo está sujeito ao pecado. Como diz a palavra: “Se você fizer o bem não será aceito? Mas, se não o fizer , saiba que o pecado o ameaça à porta; ele deseja conquistá-lo , mas você deve dominá-lo.” Gn 4.7

Uma  pergunta pode ser feita quando se depara  com o tema do mau uso da internet como, por exemplo: Como identificar comportamentos suspeitos que podem indicar a utilização não apropriada do computador pelas crianças?

Criada como uma rede de comunicação, a ideia de uma internet nasceu em meados de 1960, quando o mundo vivia a crise da Guerra Fria entre os Estados Unidos e a União Soviética. Com o fim da Guerra Fria, a constatação do sucesso obtido com a rede criada, nomeada Arpanet, que começou a ser utilizada também por universidades para troca de informações de pesquisas. Dentro do universo acadêmico, pesquisadores e alunos se tornaram novos colaboradores para seu desenvolvimento, o que alavancou o crescimento e a utilização da Arpanet. Assim, em 1983 a Arpanet passou a utilizar o protocolo de rede TCP/IP para transporte e endereçamento de dados, sendo o protocolo utilizado até os dias de hoje¹.

Apesar da  internet  ser um instrumento valioso  de  auxilio em atividades de nosso dia-a-dia, muitas pessoas têm usado a internet para fins ilícitos, principalmente por causa do anonimato que a internet fornece e a facilidade que ela oferece de comunicação do seu usuário. Mas, infelizmente sua  ampliação, através das instituições  e usuários domésticos, colaborou também para a divulgação e venda de pornografia, material racista e xenófobo, comércio ilegal de programas, senhas de bancos e números de cartões de crédito roubados, material pedófilo e abordagem ou exposição  de crianças pelas redes sociais . A seguir pode-se listar  dois  crimes muitos comuns  na internet contra as crianças .

Pornografia Infantil “Pornografia infantil significa qualquer representação, por qualquer meio, de uma criança envolvida em atividades sexuais explícitas reais ou simuladas, ou qualquer representação dos órgãos sexuais de uma criança para fins primordialmente sexuais”.

 Assédio sexual a crianças  (Pedofilia) – Uma realidade que vem crescendo a cada ano é o crime de  pedofilia que é um  crime realizado por adultos  que alicia crianças.  O que é mais intolerável  é  que sensação de impunidade dos crimes   e a ideia do anonimato contribuíram para aumentar a utilização da rede por pedófilos, motivados pela facilidade de repasse de imagens, vídeos, contato  de material pornográfico entre em salas de bate-papo.   De acordo com a Classificação Internacional de Doenças (CID10) e da Organização Mundial da Saúde (OMS) corresponde a preferência sexual por crianças, quer se trate de meninos, meninas ou de crianças de um ou do outro sexo, geralmente pré-púberes ou no início da puberdade.

Um dos mecanismos utilizados, pelos pedófilos, de aproximação das crianças é o anonimato. Fazem-se passar por pessoas da mesma faixa etária nos diversos espaços virtuais compartilhados pelas crianças, principalmente em sites de relacionamento.  De forma sistemática e paciente conquistam a confiança das crianças, fazendo parte de seu universo de relacionamento e amizade. Também através do maior número de informações de suas atividades do dia a  dia  oferece, estrategicamente,  vantagens  como explica o artigo abaixo:

 AGINDO CONTRA AS AMEAÇAS

A tarefa de enfrentamento da ameaça e perigo no mau uso da internet está na responsabilidade dos pais ou responsáveis pelas crianças e adolescentes. Uma das maneira de protegermos nos filhos  é o conhecimento  das ferramentas dos programas para controle do computador que podem nos ajudar em muito  mas dificilmente serão totalmente eficazes. A Escola Superior de Redes*, pontua quatro  formas de protegermos  nossos filhos no mau uso da internet:

  • Observação da criança no uso do computador;
  • Estabelecimento de limites e regras para a utilização do computador;
  • Acompanhamento das atividades da criança, com atenção a mudanças súbitas de comportamento;
  • Diálogo permanente com os pequenos;
  • Acompanhamento das atividades da criança, com atenção a mudanças súbitas de comportamento;
  • Diálogo permanente com os pequenos.

Consultando um site muito interessante guiainfantil.com² ele nos ensina como ajudar as crianças a identificar informações falsas, verifique as dicas abaixo:

– Inicie enquanto eles ainda são pequenos. Atualmente, até mesmo as crianças em idade pré-escolar estão usando a Internet para buscar informações. Portanto, é importante ensiná-las desde cedo a distinguir fatos de opiniões, bem como a reconhecer informações tendenciosas, persuasivas ou preconceituosas.

– Faça perguntas aos seus filhos sobre as informações que encontram online. Por exemplo, qual o propósito do site? Divertir? Vender? O site contém informações de contato sobre o autor ou uma seção “Sobre nós”? O site é patrocinado por uma empresa, pessoa ou é uma discussão pública? A Internet é o melhor local para encontrar as informações que está procurando?

– Ensine-os a confrontar sempre as informações que coletam online com as de outras fontes. Consulte outros sites da Web ou mídias — como jornais, revistas e livros, para verificar as informações. Incentive-os a perguntar a você também.

– Encoraje-os a usar várias fontes de informações, não apenas a Internet. Leve-os à livraria ou compre uma boa enciclopédia em CD-ROM, como a Microsoft Encarta. Isso lhes fornecerá acesso a fontes de informações alternativas.

– Ensine-os técnicas eficazes para encontrar informações online. Isso irá melhorar muito suas habilidades de obter informações de qualidade. Uma maneira de conseguir isso é incentivando-os a usar vários mecanismos de pesquisa, em vez de apenas um.

– Converse sobre ódio e racismo com seus filhos. Os filtros de software podem ajudar a bloquear alguns materiais desse tipo. Entretanto, seus filhos devem saber o que é o racismo e conhecer os eventos mundiais, de forma que possam reconhecer um conteúdo promotor de ódio. Saiba mais sobre Como lidar com conteúdo promotor de ódio na Internet.

Como diz a palavra de Deus: “Ensina o menino o caminho que deve andar, e quando ainda for velho, não se desviará dele”. Devemos cada dia estar acompanhando nossos filhos, vivenciando seus momentos existenciais e ensinando-os  a colocar em prática os valores do reino de Deus.

Pr. Antônio Sérgio Costa Lima – Instrutor da Divisão de Proteção ao Estudante (DIPRE). 

Referencia bibliográfica

¹Pesquisa  realizada dia 05/05/2017,pelo sitefile:///C:/Users/Windows/Downloads/ESR-Protegendo-seus-filhos-no-uso-da-Internet.pdf

²https://br.guiainfantil.com/materias/educacao/internet/ensinar-as-criancas-a-evitar-informacoes-falsas-na-internet/