Socorrei os santos nas suas necessidades. Procurai ser hospitaleiros.”Rm 12:13

O apóstolo Paulo, concluindo a sua carta aos romanos, cita nomes de pessoas e famílias que servem de referências para nós pelo fato de serem hospitaleiros e colocarem suas casas à disposição do evangelho. Retornemos ao passado e tiremos lições para nossas vidas.

Priscila e Áquila são um casal que merece destaque pelo fato de ser referência na vida de Paulo. A casa deles era um local de reunião, onde havia hospitalidade. Todos praticavam a unidade, na realidade a casa deles era um oásis de paz para as pessoas buscarem refúgio. A bíblia nos fala que esse casal abria as portas da sua casa para hospedar o povo de Deus, exatamente em um momento em que a igreja estava sendo perseguida. Após serem expulsos de Roma pelo imperador foram morar em Corinto. Ali convidaram o apóstolo Paulo para morar com eles. Agora podemos nos perguntar: O que existia de tão importante naquela casa que chamava a atenção de Paulo? Primeiro, havia acolhimento. Esta palavra representa uma série de adjetivos, tais como: acomodar, amparar, proteger e receber em casa. Uma das marcas do cristianismo era a promoção dessa característica vivida em casa. (At 2.46)

Existe uma verdade muito interessante para nós obreiros que diz o seguinte: “Não seremos Líderes acolhedores e aprovados por Deus até que exercitemos essa importante característica em nossa casa.”

Considero a hospitalidade uma característica mais abrangente do que o acolhimento, pois consiste na união, ou seja, na aproximação de culturas, costumes e pessoas diferentes. É uma troca de valores entre o visitante e o visitado. No livro de Atos temos exemplos interessantes de que exercitavam a hospitalidade como no versículo a seguir: “E foram também conosco alguns discípulos de Cesaréia, levando consigo um certo Mnasom, cíprio, discípulo antigo, com quem havíamos de hospedar-nos. E, logo que chegamos a Jerusalém, os irmãos nos receberam de muito boa vontade.” Atos 21:16-17.

Além de ser uma ordenança, o Senhor nos motiva, através da sua palavra, a todos os Cristãos buscarem hospitalidade em suas casas: ”Sendo hospitaleiros uns para com outros, sem murmurações, cada um administre aos outros o dom como recebeu, como bons despenseiros da multiforme graça de Deus.” (I Pe 4:10)

No antigo testamento, podemos observar o valor que se dava a hospitalidade pelo modo como Abraão pedia à sua esposa para preparar uma boa refeição e demonstrava alegria em acolher as pessoas: “E Abraão apressou-se em ir ter com Sara à tenda, e disse-lhe: Amassa depressa três medidas de flor de farinha, e faze bolos.E correu Abraão às vacas, e tomou uma vitela tenra e boa, e deu-a ao moço, que se apressou em prepará-la.E tomou manteiga e leite, e a vitela que tinha preparado, e pôs tudo diante deles, e ele estava em pé junto a eles debaixo da árvore; e comeram.” (Gn 18:6-8)

Por outro lado, uma das qualificações para o ministério pastoral é a hospitalidade, pois esta é um dos parâmetros para medir a atuação de um verdadeiro líder. (1Tm 3.2)

Dos vários exemplos de hospitalidade em minha vida, farei o comentário de dois. Iniciarei o primeiro com um exemplo ruim. Certo dia, estava no interior do estado para pernoitar em uma de nossas cidades. Um Pastor me convidou para passar a noite em sua casa, mas sai daquele local abatido, pois além da situação de conflito entre os seus familiares, pude também ouvir no outro dia a voz do Pastor fazer a seguinte pergunta à sua esposa: “Ele já foi ou está ainda ai?”.    Já o outro exemplo, aconteceu quando precisei me deslocar de uma cidade para outra, mas infelizmente perdi minha condução e procurei ajuda na casa de um Pastor. Apesar da hora avançada da noite, ele me atendeu de uma forma especial,mesmo sem saber que cargo ou função eclesiástica eu tinha. Hoje, todas as vezes que vejo esse Pastor, eu agradeço pela noite de atenção na sua casa abençoada.

Diante do exposto, queremos alertar aos amados irmãos acerca desta característica tão relevante da vida Cristã, citando o seguinte versículo bíblico: “Não vos esqueçais da hospitalidade, pois fazendo isso, mesmo sem saber, alguns hospedaram anjos”. (Hb 13.2)

 

Que Deus vos abençoe!

 

Pastor Antônio Sérgio Costa Lima

Pastor auxiliar da IEADTC

Coordenador do Ministério da Família.