Temos falado bastante sobre aproveitar o momento de reclusão que estamos vivendo para resgatar algo que, talvez, esteja esquecido em muitos lares: o culto familiar. Mesmo se você nunca vivenciou essa prática e é um pouco difícil entender como é a dinâmica de um culto em casa, comece. No início, pode soar estranho ou um pouco descoordenado, mas, com o hábito, toda a família estará envolvida e com o mesmo propósito. Se você está com dificuldades para colocar isso em prática em sua casa, preparamos algumas orientações que podem ajudar.

1- O culto doméstico não substitui a adoração particular nem a pública
Deus nos mostra, na Palavra, que nossa adoração deve ser particular, familiar e pública (com a congregação). É importante que isso esteja definido para que todos cultivem uma espiritualidade saudável e bíblica. O culto familiar não substitui os momentos devocionais individuais de cada membro da família nem o culto público. Agora, estamos privados do culto público, mas, tão logo pudermos voltar, devemos fazer isso com enorme alegria.

2- Adore em todo o tempo
A Bíblia fala que os pais devem inculcar nos filhos as palavras de Deus a todo momento: “delas falarás assentado em tua casa, e andando pelo caminho, e deitando-te e levantando-te” (Deuteronômio 6:7). Inculcar significa ensinar, gravar, imprimir algo em alguém. Por isso, de maneira geral, o culto deve ser permanente, mas não de um modo sufocante e pesaroso, e sim de maneira leve e sincera. Uma casa que, constantemente compartilha a bondade de Deus e vive de acordo com sua vontade está adorando a Ele.

3- Ainda assim, separe um tempo para cultuar juntos
Mesmo que a adoração seja constante, é importante escolher uma ocasião para cultuar juntos. Para isso, cada família deve observar sua dinâmica e também estar disposta a abrir mão de alguma atividade. Os maridos/pais têm grande responsabilidade pela adoração familiar, pois Deus deu a eles o papel de sacerdotes do lar, ou seja, de conduzir toda a família na Palavra. Um dos principais motivos para fazer o culto em seu lar é que ele prepara toda a família para o dia em que irão cultuar junto ao restante da igreja. Isso é especialmente bom para crianças pequenas, pois vão se habituar mais facilmente ao ambiente de culto na igreja.

4- Criem uma dinâmica que funcione para a família
As partes básicas de um culto são louvor, ensino e oração, mas um culto familiar não precisa ser uma exata reprodução do culto público. É preciso entender como ele vai funcionar para a sua família. Para casais sem filhos, por exemplo, o culto familiar pode ser um momento de compartilhar aquilo que têm aprendido em seus momentos devocionais, compartilhar dificuldades e orar juntos. Famílias com filhos de idades muito diferentes podem ter a necessidade de criar mais de um momento. Se você tem um filho de 3 anos e um de 12 anos, por exemplo, pode definir um dia da semana em que vão conversar, ensinar e orar apenas com o mais velho antes de dormir. Não é interessante “fatiar” o culto, mas, sim, criar outros momentos de instrução além do culto com TODA a família.

Nossos cultos de terça, quinta (19h30) e domingo (10h30 e 18h) estão sendo transmitidos ao vivo pelo Youtube e site da igreja. Incentivamos você a reunir sua família para assistir, mas também a colocar o culto familiar em prática em outro momento. Vamos fazer de nossos lares um lugar de adoração!