“Mas Jesus disse: Alguém me tocou; pois percebi que de mim saiu poder”.

Introdução – Sem dúvida alguma a maior necessidade do mundo é a necessidade de poder do Espírito Santo de Deus. Quando falamos sobre a maior necessidade, somos levados a refletir sobre algumas perguntas que estão relacionadas às questões que envolve o tema: Necessidade.

O que é necessidade? É carência, ausência de recursos, miséria, privação, indigência, pobreza. O que a necessidade neste sentido causa? Ela aflige, humilha, expõe a pessoa a vergonha; entristece magoa, fere, leva ao desespero e exclui a pessoa do acesso a uma vida digna. Como suprir a necessidade? Provendo recursos e soluções, acolhendo, doando, socorrendo, trabalhando, amando ao próximo…

A história bíblica da mulher do fluxo de sangue nos ensina verdades maravilhosas. Uma dessas verdades fala sobre: A maior necessidade, que é a necessidade de virtude. A necessidade de poder de Deus. Por virtude entende-se: disposição firme e constante para a prática do bem. Nesse texto bíblico, a palavra virtude, fala-nos da Dádiva do Poder de Deus.

Quero compartilhar com a Igreja, ainda que de forma simples e resumida, analisando três aspectos especiais da Dádiva do Poder de Deus concedido àquele que crer e portanto, à sua igreja.

I – A DÁDIVA DO PODER É CONCEDIDA ÀQUELES QUE O BUSCAM DE TODO O CORAÇÃO.

  • Quando Jesus estava voltando da viajem da terra dos gadarenos (Lc 8.26-39), uma grande multidão o esperava (Lc 8.40).
  • Nesse momento chega um homem por nome Jairo que era príncipe da sinagoga e roga por sua filha de 12 anos que estava à morte. E indo Jesus para casa de Jairo, diz o texto que a multidão o apertava enquanto caminhava (Lc 8.41,42).
  • Nesse trajeto, uma mulher que tinha um fluxo de sangue, havia 12 anos e que gastara tudo que tinha com os médicos e não pudera ser curada, chega por detrás de Jesus, em meio à multidão, e toca na orla da sua veste e logo estancou o fluxo do seu sangue (L 8. 42-44).
  • E Jesus disse: “Quem é que me tocou? E, negando todos, disse Pedro e os que estavam com ele: Mestre, a multidão te aperta e te oprime, e dizes: quem é que me tocou? E disse Jesus: Alguém me tocou, porque bem conheci que de mim saiu virtude. Então, vendo a mulher que não podia ocultar-se, aproximou-se tremendo e, prostrando-se ante ele, declarou-lhe diante de todo o povo a causa por que lhe havia tocado, e como logo sarara. E ele lhe disse: Tem bom ânimo, filha, a tua fé te salvou; vai em paz (Lc 8.45,46).
  • A divindade de Cristo é uma coisa da qual nos abstraímos quando lemos as Escrituras. De tal forma nos impressionamos com os aspectos de sua humanidade, que nos esquecemos vez por outra que, em todos os instantes em que conviveu conosco, ele era também Deus-Filho.
  • Sim, lembramo-nos sempre que teve sede, fome, tristeza, carinho pelas crianças, etc. E, em tudo isto, esquecemo-nos que ele era Deus também; que mesmo quando os homens o exaltavam, Ele não se convencia disto “pois bem sabia o que ia em seus corações”.
  • Quantas pessoas estavam ali com os mais variados tipos de necessidades, tocaram em Jesus, apertaram a sua mão, tocaram as suas vestes e não foram beneficiadas com o seu poder? Por quê?
  • Aquela mulher o tocou por um desígnio diferente dos demais, que simplesmente esbarravam, apertavam e oprimiam a Jesus entre a multidão.
  • Eu creio que por fixar-nos muito na humanidade de Jesus, esquecemo-nos muitas vezes da sua divindade.
  • Esquecemo-nos que tal qual a mulher que n’Ele tocou para ser agraciada, nós em nossos dias, podemos receber também do seu poder, se o buscarmos e o amarmos.
  • Creio que devemos orar e pedir a intervenção do Senhor em nossa vida. Se nós o buscarmos de todo o coração, seremos tocados pelo poder que dele emana.
  • Que possamos romper a multidão nesses dias tão turbulentos que vivemos e tocarmos pela fé em Jesus e receberemos para nossa vida, a dádiva de seu poder e as bênçãos de sua graça.

II – A DÁDIVA DO PODER OPERA TRANSFORMAÇÃO DE VIDA.

  • “Saíram, pois, a ver o que tinha acontecido, e foram ter com Jesus, a cujos pés acharam sentado, vestido e em perfeito juízo, o homem de quem haviam saído os demônios; e se atemorizaram. ” Lc 8.35.
  • Transformação de vida é, sem dúvida, a consequência maior da entrada de Cristo no coração do homem. Não se pode conceber que um novo crente, depois de uma vida de pecados ou descaminhos, continue trilhando os mesmos rumos ou desvios que até então enchiam o seu viver.
  • No momento em que se encontra com Cristo, ele deve tomar uma forma de vida diferente e separada. Foi isto o que aconteceu com o endemoninhado de Gadara. Logo após ter sido libertado da possessão demoníaca que o atormentava, ele vai passar por uma transformação profunda, impressionando a todos que o conheciam de longa data, pois vão encontra-lo “sentado, vestido, e em perfeito juízo”.
  • Uma coisa me chama a atenção, sempre que volto a esse episódio bíblico da libertação do gadareno.
  • O que me chama a atenção não é o fato de ter se levantado uma grande tempestade, mas o fato de Jesus ter repreendido os ventos e o mar.
  • O texto de Mateus 8. 26 diz que, se levantou uma grande tempestade de sorte que o barco era encoberto pelas ondas. O texto de Lucas 8.23 diz que o barco se enchia de água.
  • Eu creio que em nenhum outro lugar das Escrituras vemos Jesus repreendendo coisas inanimadas, e, sim, seres vivos com identidade.
  • Jesus repreendeu os ventos e o mar, pois nos ventos estavam à ação dos anjos caídos de satanás, tentando impedir que Jesus chegasse à Gadara para curar aquele pobre endemoniado cuja maior necessidade era ser liberto daquela possessão diabólica.
  • Diz o apóstolo Paulo: “No demais, irmãos meus, fortalecei-vos no Senhor e na força do seu poder. Revesti-vos de toda a armadura de Deus, para que possais estar firmes contra as astutas ciladas do diabo. Porque não temos que lutar contra a carne e o sangue, mas, sim, contra os principados, contra as potestades, contra os príncipes das trevas deste século, contra as hostes espirituais da maldade, nos lugares celestiais” (Ef 6.10-12).
  • Nos ares, no mar e no vento os demônios agiram em conjunto para impedir que Jesus passasse para o outro lado do mar, pois sabiam que ali Ele expulsaria os demônios daquele homem.
  • Os demônios ainda causariam um grande prejuízo aos moradores de Gadara. Quando os demônios viram Jesus, rogaram-lhe que os mandasse para uma manada de porcos, e autorizados por Jesus precipitaram aquela manada no mar matando todos os porcos (Mt 8.30-33).
  • A Dádiva do Poder de Deus age no interior do homem que crer em Jesus e a presença do Senhor no interior do homem o compele a uma vida nova onde o sistema de pecado que imperava tem que ser abolido. As concessões com o mal que reinavam têm que ser eliminadas; os maus hábitos e vícios que dominavam têm que ser vencidos e superados.
  • Mas a Dádiva do Poder de Deus opera não somente extinguindo o que de ruim acontece.
  • Aquele que se encontra com Cristo, além de eliminar o mal anterior, tem que acrescentar ao seu viver as virtudes de um verdadeiro cidadão dos céus: dignidade, justiça, honestidade, bondade, caráter, amor, compreensão, etc.
  • Essas virtudes operam a transformação que Cristo faz em nosso viver.

III. A DÁDIVA DO PODER DE DEUS ESTABELECE A IGREJA, ABALA O MUNDO E MUDA A NOSSA HISTÓRIA.

  • Apresento esse terceiro ponto, desafiando a todos a abrir a bíblia e meditar sobre cada uma dessas afirmações sobre a atuação da Dádiva do Poder de Deus.
  • É a promessa que Jesus fez aos seus discípulos (At 1.4,8).
  • Assina a ata de fundação da igreja do Senhor Jesus (At 2.1-4).
  • Autentica a pregação do evangelho (At 2.14-39; 3.19).
  • Certifica os escolhidos para o ministério (At 6.1-3).
  • Promove a unidade e o crescimento da igreja (At 2.40-47).
  • É quem sustenta a igreja nas perseguições (At 4.1-20).
  • É a fonte de onde emanam os sinais, milagres, prodígios e maravilhas (At 3.1-10; 5.12; 19.11,12).
  • Fornece discernimento à liderança da igreja (At 5.1-11).
  • Não faz acepção de pessoas (At 10.34).
  • É sinal da presença do Senhor para os fiéis e para os infiéis (At 14.22).
  • Promove o avivamento (At 8.1-17).
  • Não se concretiza por meios divinos somente, mas em resposta a oração de quem busca a face do Senhor (At 12.1-17).
  • É que sustenta a obra missionária. É quem seleciona, chama, envia e cuida dos que fazem missões (At 13.1-4).
  • Abala as estruturas das prisões e confronta a idolatria (At 16.26; 17.15-34).
  • É que torna firme todo o conselho de Deus (At 20.27).

 Conclusão – Quando tocamos em Cristo pela fé o seu poder flui para nós, nos cura e nos salva. A pergunta que devemos fazer agora é: Qual a transformação que Cristo tem operado em meu viver pela Dádiva do seu Poder?

  • Tenho sido melhor esposo, mãe, irmão, filho e filha? Melhor vizinho, companheiro de trabalho? Melhor cristão, obreiro, pastor?
  • Enfim, qual a transformação que Cristo operou em nosso viver pela dádiva do seu poder?
  • Que o mundo possa ver a diferença que a dádiva do poder de Deus opera em nossa vida, pelo domínio de Cristo em nossos corações.

 

Em Cristo Jesus e porque ele vive!
Pr. Antonio José Azevedo Pereira!

Faça abaixo o download do esboço.

A dádiva do poder de Deus